Eu diria que a frase que mais proferi a mim mesmo durante este ano foi “vai melhorar”, repetindo-a mentalmente quase como um mantra ao longo dos meses, diante de cada adversidade, de cada choro escondido, de cada noite mal dormida. Como se tentasse me convencer de algo.

“Vai melhorar. Vai passar. Vai ficar tudo bem.”

Não quero parecer ingrato. Mas ainda não estou convencido. Então sigo repetindo essas palavras, falso otimista que sou.

Anúncios

Se voltar a escrever, que seja porque ainda me importo.

Se voltar a escrever, que seja porque encontro nas palavras o abrigo para o que me aflige.

Se voltar a escrever, que seja porque realmente vejo a escrita como a única forma de expressão artística que talvez eu tenha.

Se voltar a escrever, que seja porque preciso abraçar de vez essa solidão espiritual, ao invés de me amargurar pelo que não entendo.

Se voltar a escrever, que sejam verdadeiros os meus dizeres, ainda que doloridos.

Se voltar a escrever, que seja porque perdi o medo de mim.